quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Devaneio - Á Ludmilla


E sempre a mesma coisa
Que eu sinto
Me fazendo sentir.
É ilusão
Motivação
Que me engana e me faz
Crer no porvir

São sempre sonhos
Que surgem e vão
Que se realizam
E que talvez não

É vida, é dor, agonia
Desespero, é nostalgia
Que invade o meu peito
E me deixa com medo
De não te ver sorrir.

Mas se sorrir, creia em min
Que sempre amei
O teu viver.
Que me entreguei,
Me apaixonei,
Por cada parte
Que compõe seu Ser.

Nenhum comentário: