terça-feira, 29 de setembro de 2009

Não se encontra na faculdade - Ludmila Marra


Sou dessas meninas de 17 anos que avançaram dois anos na escola e hoje fazem faculdade de biologia,dessas que ralaram pra caramba pra passar numa faculdade federal.Sou dessas meninas que são fãs de Sigmund Freud,Içami Tiba e Alan e barbara Pease,admiram Corrie TenBoon,Mahatma gandhi e Martin Luther king.Dessas que lêem O Anticristo de Nietzsche e a teoria do suicídio de Durkheim,e apesar de tudo não conseguem largar os Simpsons por nada.Dessas que adoram Sócretes,Platão e Aristóteles mas não se vêem longe do toma la da cá. Hoje ouvi um comentário que de inicio me deixou meio sem jeito,mas depois tive que concordar.Uma amiga minha de faculdade usou os seguintes dizeres pra me criticar ou elogia não sei "Quando a menina faz faculdade ela geralmente procura um menino que faça faculdade também e que seja centrado,você não,vai atrás de uns loucos".Realmente é verdade.Gosto desses meninos que jogam vídeo game,assistem desenhos animados,andam tão largados que nem uma menina é capaz de olhar,desses que amam filmes de comédia,andam de bike.Desses que depois da igreja vamos comer pipoca ou tomar sorvete,e as tardes de sexta feira vamos pra pracinha encontrar alguém conhecido e morrer de rir e me tiram todo o stress da longa semana de faculdade,o sábado agente fecha na frente da minha casa sentados no meio-fio,e pra comemorar os aniversários de namoro a gente vai no cachorro-quente.Desses meninos pra eu contar o que eu leio,desses que topam ir comigo pra exposição quem tem medo de olhar pra cima,desses que admiram minhas crônicas e não conseguem passar o dia sem me ver imitando minha professora de estatística.desses que felizmente ou infelizmente não se acha na faculdade.

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Infinitamente Mais - Helena Tenure

Infinitamente Mais

Olá, queridos amigos e leitores,

Há algum tempo uma pessoa que não é cristã e não me conhece bem me fez a seguinte pergunta: “E aí, quais são seus projetos para o futuro?”

Eu logo respondi “obedecer a Deus é o meu projeto”. E aquele rapaz respondeu quase indignado “Mas você tem que correr atrás!” - e saiu inconformado com a minha resposta, sem me dar chance de explicar melhor o que estava passando pela minha mente.
Definitivamente, até hoje, tudo de que eu “corri atrás” se tornou fonte de frustração e muitas lágrimas. Eu aprendi, vivendo um dia de cada vez, que os sonhos de Deus são realmente, como diz a Bíblia, bem mais elevados que os nossos; e os propósitos dEle, infinitamente melhores. Descobri também que às vezes persegui a coisa certa com a motivação errada – como, por exemplo, a minha autopromoção, atrair o olhar das pessoas pra mim ou simplesmente competir, como se o meu valor estivesse atrelado àquilo que eu faço e não à quem eu sou em Cristo.

Não estou querendo aqui fazer apologia à preguiça ou comodismo. Falo de realmente procurar escutar e obedecer a vontade de Deus e deixar que Ele mova os nossos corações com a motivação correta, que é a expansão do Reino de Deus fazendo o amor de Jesus Cristo conhecido não apenas com as nossas palavras, mas também por meio dos relacionamentos interpessoais. A vida só tem sentido quando vivemos por algo maior do que nós mesmos. Os dias se vão tão rapidamente que corremos o risco de passar a vida inteira caminhando em círculos, como fez o povo de Israel entre o Egito e a terra prometida. Nossa rebelião, presunção e orgulho podem nos aprisionar no deserto, como fizeram com os israelitas.

Tenho vivido dias em que sou surpreendida pela bondade de Deus. Não corri atrás nem sou merecedora, não sou melhor que ninguém, mas o Senhor me presenteou com uma temporada de gravações em Nashville, de onde estou escrevendo agora. Encontrei-me com a minha querida amiga Ana Paula Valadão; gravei com uma grande amiga, a Luciane, sobre seu testemunho de vida; e também tive a honra de entrevistar dois ministros de louvor que sempre trouxeram um profundo impacto à minha vida: Rebecca Saint James e Ron Kenoly. Simplesmente surreal. E o que eu fiz pra chegar até aqui? Disse ao Senhor: “Eu confio em Ti, me entrego a Ti, faça da minha vida o que o Senhor quiser fazer”.

Certamente este é um caminho de renúncia, principalmente ao meu próprio ego. Mas negar a mim mesma tem sido maravilhoso, pois a vontade de Deus é boa, perfeita e agradável e muito mais elevada que a minha. Talvez você esteja vivendo um tempo de renúncia ao seu ego, aos seus planos, à sua vontade, aos seus prazeres e este esteja sendo um momento difícil pra você. Mas eu quero te encorajar: vale a pena! Deus sempre nos surpreende, pode confiar! Sinto-me em estado de graça.

Realmente Deus faz infinitamente mais do que pedimos ou pensamos. Quando Ele mandar não tenha medo, caminhe sobre as águas.

Grande beijo,
Helena