Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2017

Solipsista...

Imagem
Passou a mão no rosto num gesto exausto. O dia no escritório tinha sido cansativo e sua alma pedia descanso. Não entendia como tudo havia chegado aquele ponto. Suas entranhas sussurravam liberdade. Deu um gole no café que já estava frio e pensou porque aquele líquido gelado ainda estava lá, devia desaparecer. Puff. Sumiu. Levou um susto quase caindo da cadeira. Seu desejo havia sido atendido. Se recompôs ainda sem acreditar muito e testou. Lá se vai a caneta na sua frente. Não acreditou no que viu, tudo que desejava que desaparecesse, sumia. Estava só, dava pra brincar. Em cinco minutos não haviam mesas nem cadeiras, computadores ou copos. Tudo havia ido graças ao poder de seu pensamento. Um escritório vazio. Sua mente se encheu de euforia, ele tinha o poder. Aumentou então seus testes. Em alguns segundos estava em um lote vazio apenas com o piso em cerâmica, olhando para a rua como se nunca nada estivesse construído ali. Pulou jogando os braços para o alto. Seu sorriso era descontro…

EU MORRI AOS 27

Imagem
Ainda posso sentir o sangue quente saindo da minha boca e escorrendo pelo chão. Não sei direito o que me atingiu, mas estou morrendo em plena luz do dia caído no asfalto. Eu sempre soube que iria morrer aos vinte e sete.     O Tempo é algo cruel. Em um ano as coisas podem acontecer de uma maneira inimaginável. Nunca entendi direito as festas de aniversário, comemorar a data que te leva cada vez mais pra perto da morte me causa achaque. Ou talvez seja porque sobrevivemos mais um ano sem dar adeus a esse mundo tão estranho.     Provavelmente tenho pouco tempo para dizer algo, posso sentir as pessoas ao redor já premeditando meu fim e alguns passos desesperados. Nada incomum.     Desde muito tempo sempre achei que morreria aos vinte sete. Nada poético, apenas tinha essa convicção estranha. Imaginava que pegaria meu filho no colo, teria uma família, amigos e morreria bem quisto por todos. Um legítimo herói. Sair de cena enquanto ainda estava-se no ápice de meu esplendor. Acreditando…