segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Intervalo...


A cada dia desisto mais da vida.
Nao do ponto de vista de querer morrer.
Mas do ponto de vista de desistir...
Aah.. deixa pra la,
Va viver.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Olá... (Texto lido na abertura do Congresso da MID)

Ola, sejam bem vindos ao lugar da verdade. Que verdade$ Ora, ora, ora meus caros. Não se escondam atrás de vocês mesmos. Mas isso ainda não vem ao caso, primeiramente devo apresenta-lhes a ocasião.

Em séculos de historia, o ser humano tem corrido atrás de sua individual felicidade. Atrás de um Deus. Hoje, em especial, não venho falar da grande massa, mas sim de alguém em especial, alguém extremamente singular na gigantesca bola infinita chamada universo. Venho falar de você.

Acomode-se em seu acento para me ouvir por um instante.

A muito tempo criou Deus o céu e a terra. A muito tempo criou Deus o homem. A muito tempo o homem ignorou Deus. A muito tempo Deus buscou falar intimamente com sua criação. Por muito tempo o homem ignorou essa busca. A muito tempo... Deus calou-se. Ouça, a melhor parte da historia. Anos depois nasceu um menino... chute seu nome se ao menos isso voce souber! Jesus. Esse era o pior da laia dos que vieram antes dEle. Pregava sobre o mesmo Deus de todos os outros loucos que o antecederam, porem tinha algo em especial neste que atraia cada dia mais pessoas para suas reuniões publicas que não tinham hora nem lugar. Fantástico. Me lembro como se hoje ainda fosse, de suas palavras. De começo eram simplesmente belas, cômodas, gostosas, esperançosas, traziam um sentimento que já estava adormecido a muitos anos, o Amor de Deus. Lembro-me daquele cego desesperado que gritava seu nome na beira do caminho que atrapalhou nosso dia. Lembro-me daquela mulher, aquela maldita meretriz traga por aqueles hipócritas, e Ele, que com uma frase tão simples e verdadeira fez tantas pedras caírem no chão que davam para fortificar muros de julgamentos humanos. Como me acalento nessas imagens. Como ele era doce. Duvida% Pergunte ao garoto dos peixes e dos Paes, pergunte ao ressuscitado lazaro, pergunte ao infeliz coxo da piscina, (risadinhas) pergunte a garota do perfume, pergunte aos seus fieis discípulos, pergunte aos doentes, aos fracos, aos infelizes, aos sem esperança... pergunte ao mundo!

(suspiro) infelizmente em planos tortos, tudo que é reto esta errado. Lembro-me, com vergonha, de que fiquei ao longe vendo aquele pobre coitado arrastar aquela maldita cruz por todo aquele caminho. Ei (desespero), não era dele, não era pra ele, do alto onde eu estava ficava me perguntando “porque ele não larga&” ele pode. Ele pode tudo. Mas não. Tinha um motivo. Pregado naquela cruz, olhando para suas ultimas ações, vi toda a verdade.

Agora meu caro colega, entra você. Jesus, em sua caminhada, sempre mostrou um caminho, uma verdade, uma vida, uma cruz, a dEle! Nunca citou outro reino, outra vida, outra esperança. Tudo se findava nele e por Ele. “Quem quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, tome tua cruz e siga-me”. Uma simples ordem. Porem, você, mesmo que ainda não saiba, tem pegado uma cruz errada da dEle.

Tem carregado a cruz do castigo, a mesma cruz da religião que escravisa e oprime. Tem tomado uma cruz “gospel”, de festinhas e oba obas. Tem se sucumbido de uma cruz de retribuição que acha que Deus é obrigado a te abençoar só por que você lê algumas paginas de sua palavra. Você tem vivido uma Cruz de prosperidade, de auto-ajuda, de peso na consciência. Você meu caro, tem tomado todas as cruzes possíveis a para se tomar no mundo. Tem achado que sua cruz é a certa e tem ignorado qualquer tentativa exterior de transformação.

Tenho uma coisa a te falar meu jovem; você não veio para um congresso de merda. Não ache que sua vida de pecados vai continuar, não pense que sua falsa cruz ainda vai continuar. Largue sua ignorância cristã e viva um novo dia, tire a venda de seus olhos e aceite a verdade nua e crua de que provavelmente você tem carregado a cruz errada. Não cogite a possibilidade de sair daqui hoje sem ao menos descobrir...QUAL É A SUA CRUZ!

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Não se encontra na faculdade - Ludmila Marra


Sou dessas meninas de 17 anos que avançaram dois anos na escola e hoje fazem faculdade de biologia,dessas que ralaram pra caramba pra passar numa faculdade federal.Sou dessas meninas que são fãs de Sigmund Freud,Içami Tiba e Alan e barbara Pease,admiram Corrie TenBoon,Mahatma gandhi e Martin Luther king.Dessas que lêem O Anticristo de Nietzsche e a teoria do suicídio de Durkheim,e apesar de tudo não conseguem largar os Simpsons por nada.Dessas que adoram Sócretes,Platão e Aristóteles mas não se vêem longe do toma la da cá. Hoje ouvi um comentário que de inicio me deixou meio sem jeito,mas depois tive que concordar.Uma amiga minha de faculdade usou os seguintes dizeres pra me criticar ou elogia não sei "Quando a menina faz faculdade ela geralmente procura um menino que faça faculdade também e que seja centrado,você não,vai atrás de uns loucos".Realmente é verdade.Gosto desses meninos que jogam vídeo game,assistem desenhos animados,andam tão largados que nem uma menina é capaz de olhar,desses que amam filmes de comédia,andam de bike.Desses que depois da igreja vamos comer pipoca ou tomar sorvete,e as tardes de sexta feira vamos pra pracinha encontrar alguém conhecido e morrer de rir e me tiram todo o stress da longa semana de faculdade,o sábado agente fecha na frente da minha casa sentados no meio-fio,e pra comemorar os aniversários de namoro a gente vai no cachorro-quente.Desses meninos pra eu contar o que eu leio,desses que topam ir comigo pra exposição quem tem medo de olhar pra cima,desses que admiram minhas crônicas e não conseguem passar o dia sem me ver imitando minha professora de estatística.desses que felizmente ou infelizmente não se acha na faculdade.

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Infinitamente Mais - Helena Tenure

Infinitamente Mais

Olá, queridos amigos e leitores,

Há algum tempo uma pessoa que não é cristã e não me conhece bem me fez a seguinte pergunta: “E aí, quais são seus projetos para o futuro?”

Eu logo respondi “obedecer a Deus é o meu projeto”. E aquele rapaz respondeu quase indignado “Mas você tem que correr atrás!” - e saiu inconformado com a minha resposta, sem me dar chance de explicar melhor o que estava passando pela minha mente.
Definitivamente, até hoje, tudo de que eu “corri atrás” se tornou fonte de frustração e muitas lágrimas. Eu aprendi, vivendo um dia de cada vez, que os sonhos de Deus são realmente, como diz a Bíblia, bem mais elevados que os nossos; e os propósitos dEle, infinitamente melhores. Descobri também que às vezes persegui a coisa certa com a motivação errada – como, por exemplo, a minha autopromoção, atrair o olhar das pessoas pra mim ou simplesmente competir, como se o meu valor estivesse atrelado àquilo que eu faço e não à quem eu sou em Cristo.

Não estou querendo aqui fazer apologia à preguiça ou comodismo. Falo de realmente procurar escutar e obedecer a vontade de Deus e deixar que Ele mova os nossos corações com a motivação correta, que é a expansão do Reino de Deus fazendo o amor de Jesus Cristo conhecido não apenas com as nossas palavras, mas também por meio dos relacionamentos interpessoais. A vida só tem sentido quando vivemos por algo maior do que nós mesmos. Os dias se vão tão rapidamente que corremos o risco de passar a vida inteira caminhando em círculos, como fez o povo de Israel entre o Egito e a terra prometida. Nossa rebelião, presunção e orgulho podem nos aprisionar no deserto, como fizeram com os israelitas.

Tenho vivido dias em que sou surpreendida pela bondade de Deus. Não corri atrás nem sou merecedora, não sou melhor que ninguém, mas o Senhor me presenteou com uma temporada de gravações em Nashville, de onde estou escrevendo agora. Encontrei-me com a minha querida amiga Ana Paula Valadão; gravei com uma grande amiga, a Luciane, sobre seu testemunho de vida; e também tive a honra de entrevistar dois ministros de louvor que sempre trouxeram um profundo impacto à minha vida: Rebecca Saint James e Ron Kenoly. Simplesmente surreal. E o que eu fiz pra chegar até aqui? Disse ao Senhor: “Eu confio em Ti, me entrego a Ti, faça da minha vida o que o Senhor quiser fazer”.

Certamente este é um caminho de renúncia, principalmente ao meu próprio ego. Mas negar a mim mesma tem sido maravilhoso, pois a vontade de Deus é boa, perfeita e agradável e muito mais elevada que a minha. Talvez você esteja vivendo um tempo de renúncia ao seu ego, aos seus planos, à sua vontade, aos seus prazeres e este esteja sendo um momento difícil pra você. Mas eu quero te encorajar: vale a pena! Deus sempre nos surpreende, pode confiar! Sinto-me em estado de graça.

Realmente Deus faz infinitamente mais do que pedimos ou pensamos. Quando Ele mandar não tenha medo, caminhe sobre as águas.

Grande beijo,
Helena

sexta-feira, 31 de julho de 2009

Brinco... - Charles Sophie (Fragmentos)


Brinco hoje de entender;
De saber o que sentes por mim
De pensar nas minhas ideias
O quanto sonhas sem fim.

Brinco hoje de saber;
Saber teus pensamentos
Saber o que queres
E fingir que nao entendi.

Brinco hoje de culpado.
Culpado por nao responder
Aos seus lamentos e gritos
Que sempre brincaram de se esconder.

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Intevalo...


Ontem vi um homem reclamar da vida
Velho ignorante, nao, jovem ignorante
Nao viveu o que passei
E ja se cansa da curta caminhada.
Onde esta a força das pernas juvenis.

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Partitura...- Charles Sophie


No começo assim em mim
Era só uma pauta branquinha
Sem nenhum arranjo,
Com seus espaços e linhas

Com desdém, larguei-te, crua,
Junto com tantas outras
Dentro dum silencio de um baú.

Com tu guardada sem valor
Tentei criar em tantas outras
Uma bela canção
Que com amor tocasse todo coração.

Frustrado em cada linha
De uma música sem melodia
Lembrei de ti, que no baú,
Se escrevia sozinha.

Quão salto dei de espanto
Defronte tudo que via.
O mais sem graça Pentagrama
Se tornou a mais bela Harmonia.

Com sua clave bem postada
Eu seguia a direção
Com tua armadura bem simploria
Consegui ler, do mundo todo, a melhor canção

Que compasso bem levado
Um alegretto impressionante
Entre fusas e colcheias
Bemóis e dissonates

Quão parvo sou, mediocre compositor.
Passou em minhas mãos e não notei
A musica escrita pelo proprio Criador

Te peço agora, linda Partitura
Que eu possa ser o maestro
De suas pausas e aumentos
Dos seus levados de lamentos.

Te prometo a orquestra dos Universos
Porem, semibreve...
Se nao fores em ti, bela partitura,
Nenhuma outra ganhara os meus singelos versos.

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Vinte e Um do Seis de Oitenta e Nove...


Absorvo-me cada vez mais nas minhas incertezas.
Cada ano que vem
Atravessa a minha alma de dor.
Ontem passeei no Jardim
Porem,
Era mais um execravel momento
Vozes...
Que foi aquilo?!
Deixe-me aqui no meu leito
Quero esperar a Cadente e faze-lhe um pedido
Nao me incomode, nao pertube
A qualquer momento ela vem.

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Norte - Charles Sophie


Ha um suspiro dentro de mim
Ha um pouco de dor dentro de mim
Ha um alguem em mim
Ha um silencio dentro de eu.

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Pesares...


Morre no dia vinte e oito de abril de dois mil e nove, Antonio Alves dos Santos. Provavelmente você nunca ouviu falar de seu nome, mas provavelmente deve ter topado com ele na rua ou negado-lhe umas moedas.
Mais conhecido como Caipira, Antonio era morador de rua, aprisionado pelo álcool. Não era meu parente, nem meu amigo, mas sim, um chegado.
Enquanto, dentro dos templos cheios de gloria, pessoas desvalorizam a Palavra do Reino, alguns, em meio as sombras da noite esperam uma Meditação vinda do Céu. Antonio não tinha nada para oferecer, mas foi com esse indigente peregrino urbano que começou minha pequena trajetória pelas ruas da ilusão. Foi com um mero menosprezado da vida e seus amigos, que aprendi a dar mais valor a cada palavra e oportunidade desta terra.
Alguns ouvem por cotidiano, outros por obrigação, outros nem ao menos ouvem, só fingem. Porem Antonio Alves dos Santos e seus compatriotas, não só ouviam, davam uma atenção exacerbada ao mexer dos lábios. Pode alguém levantar-se e dizer; “mas nunca viveu o que ouviu”, digo a vocês, ele sempre ouviu o que viveu. Desventurado que foi.
Fique aqui então uma nota fúnebre do de Antonio Alves dos Santos, companheiro de uma curta estrada. Louco e alcoólatra, porem, sempre a ouvir boas palavras.
Condolências de Um que lembrou de você.

domingo, 5 de abril de 2009

The Continued a Mesma Merd - Charles Sophie


Indigna-me acordar de manha e assistir aos jornais. Não estou falando das atrocidades ou novelas sem sentido ou fim, estou falando de outra coisa. Creio que você que vê o que escrevo, já passou pela mesma situação.

Nos últimos dias, tenho visto o índice de crueldades aumentar relativamente. Junto com elas, vejo também a quantidade de críticos que caem matando em busca de uma brecha para demonstrar seu ponto de vista. Não críticos concursados de palitó e gravata que se apresentam na mídia, digo dos críticos mais próximos. Ouço todos os dias pessoas criticando o sistema que causa a fome, a guerra, o desemprego etc, porem essas mesmas pessoas se refugiam atrás de suas mascaras pérfidas dizendo que sentem muito quando na verdade não estão afim de mover um dedo sequer. Não estou de maneira nenhuma atacando o livre arbítrio de falar, porem, aquieto-me ao ver tanta ignorância.

A desumanidade humana se tornou tão normal que vivemos como seres. Falar como é horrível o mundo, parece dar um alivio no peito, assim não preciso fazer mais nada, apenas falar meu ponto de vista.

NUNCA vão ter coragem para saírem de suas gaiolas, mas e daí?! O que importa, é que falem.

sábado, 28 de março de 2009

Delirio... - Charles Sophie


"Peço para o Tempo
Um espacinho em meio a Etenidade
Para que possa desfrutar o doce Silencio
De minha Vida"

quinta-feira, 26 de março de 2009

O Silencio... - Charles Sophie


Perguntei-me o pior momento da vida

Respondi-me de imediato;

O intervalo

Nada se muda

Não se cria

Não se trabalha

Não se apaixona-se

Não se sonha.

Intervalando-se o homem cai na realidade

Concordei, lógico, comigo mesmo

Barulho pior que o silencio do intervalo

Não há...

Não espere......

Não, não, isso não.

O intervalo é o pior.

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Passarinho - Charles Sophie


Nesta tarde um passarinho pousou no meu espelho
Ontem pousei na beira mar e vi a lua se por
Foi-se deitando, desfalecendo, com brilhos belos
Brilhos fracos.
Com ela iam as estrelas e a escuridão
Com ela meu coração
Porque não estavas lá, ao meu lado?
Deixou-me só a beira mar, pousado nas idéias!
Reflete em min teto do universo, avista-me.
Ajude minhas asas a bater, voar, voar, voar...
Teto sem teto, sem fim, sem respostas... apenas angustiante.
Dentro de min a Eternidade do Pousa-Luar.
Passeia por min um passarinho que segue – também – o luar
O passarinho se foi,
O Luar foi dormir...
E continuo sentado, sem ninguém, a beira mar.

domingo, 1 de fevereiro de 2009

De volta....


Ola meus queridos leitores,


Estava meio fora de ar graças a uma viagem espetacular, mas.... Estou aqui de novo. Daqui uns dias voces vao poder ler algumas das historias dessa viagem cheia de aprendizados e casos...hehe.


abçs