terça-feira, 29 de março de 2011

Intervalo... - Charles Sophie

Nota; Em princípio, voltamos sempre pra onde saímos.

Um poema triste...


Tome, sente ao meu lado, e tome este brinde de solidao
a vida de andarilhos como nos
nao deve amanhecer como os lobos
mas sim morrer na escuridao.

Um gole serve pra expressar nossa antipatia
ante tanto desencanto e desespero
os demais sao de proteção contra a alma
e as madrugas de pesadelo.

Se perguntares porque me deito ao delirio
te respondo, meu caro, sem demora
é porque uma moça linda
em meu peito ainda mora

E essa por sua vez
nao me sente nem me nota
se esquece quando chego
e quando ve ja fui embora

Hoje tento de tantos modos
chamar sua simples atençao
mas seu jeito de menina
nao conhece o proprio coração.

E te digo pra um final
entre tudo que passei
essa moça a quem amei
me deixou aqui sozinho
mas nem por um instante que seja
deixei eu de dar
todo o meu carinho.

sexta-feira, 4 de março de 2011

Intervalo...

Como sao livres as Nuves
Vem e vao sem sentido
Se fazem e desfazem
Sem se prender a céu nenhum.