quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Arvore de Outono...


Minh’alma esta triste, assim como as arvores que
Continuam a chorar após o temporal,
Chora também meu coração neste instante.
Chora de ataque cardíaco, dor profunda e com
Fim.
Fim
Trágico. Morte, no mínimo morte, coma eterno e fora
Do tempo. Sinto um perfume doce no ar, póstumo
Cheiro das flores ao meu redor. Pútrido.
Nas ruas, quando saio, acompanha-me uma pessoa,
Nunca a vi. Sinto sua presença juntinha de min, presença
Cadavérica. Assombra-me com terror, meu caro amigo e companheiro.
Minh’alma triste e cansada lamenta pelos cotovelos.
Roubaram o sol da minha janela. Mitigaram a bonança e
Arrebentaram as correntes da tragédia. Esta livre.
Um pombo cagou na minha sorte!
Chove em meu corpo e pinga em minha alma
Alma que chora com pingos de tristeza e que
Chorara após a tragédia. Triste alma.
Minh’alma esta triste, assim como as arvoresApós o temporal.

Nenhum comentário: