quinta-feira, 20 de julho de 2017

Bilhete - #2UmCisco



     Tudo tinha voltado ao normal e ele agradeceu ao universo por isso.
     Era seu primeiro encontro após aquilo que ele chamava de “A grande Decepção”. Sentado na mesa com sua nova companhia que havia conhecido tinha alguns dias, até que enfim a paz reinava e a vida estava andando.
     Foi difícil, mas após meses de sofrimento ele conseguiu apagar ela de sua casa. O amor tinha ido embora, mas tinha deixado rastros por todos os lados. O travesseiro e fronha que ela havia trago foi o primeiro a pegar fogo.  Cada cômodo da casa guardava uma lembrança dela e ele não podia conviver com aquilo. Jogou tudo fora.  A garrafa de vidro para por água que ela havia improvisado, o narguilé, os cigarros e um maldito pano que ela usava frequentemente na cozinha. Livrou-se do shampoo ainda cheio que ela tinha comprado e até uma toalha azul que nem era dela, mas usava. Jogou fora as fotos, uma calcinha, as cartas e se pudesse jogar fora as blusas que ela usava de camisola, jogaria, mas elas eram boas demais. Da pra aguentar. Não havia mais vestígios daquele “espírito” que o assolou durante tanto tempo.
     Pediu a conta e tirou a carteira para pegar o cartão e finalizar aquele maravilhoso encontro. Sem querer um pedaço de papel dobrado caiu ao tirar o cartão. Pegou e abriu meio confuso. Arregalou os olhos sem conseguir esconder a surpresa. Era um bilhete antigo que não tinha ido junto com as outras tralhas. Ele tinha jogado tudo fora, mas ela ainda estava em todos os lugares.
     - Você acredita em demônios? – perguntou pra sua companhia na mesa – Porque eu começo a crer que o diabo existe e adora me pertubar.


Nenhum comentário: