segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Pouco caso...

O que tenho que fazer para ter-te em meus braços
Em meus amores, minhas esperanças
Em meus laços?
Queres flores de manhãzinha cedo
Queres que recite todas poesias belas já vistas
O que faço para ter-te sem medo?
Quero teu perfume, tua presença
Quero todo teu nascer de sol e desabrochar da flor
Ver-te despertar aos olhos amanhecidos de uma noite calma
Dizer-te ali, num tranqüilo dia de inverno,
Que quero a cada dia mais
O teu presente amor eterno.

Nenhum comentário: